Catexia

instrumental

A Voz do Brucutu (2013)

Clique na Imagem  para fazer o Download gratuito do álbum

capa_ceff

Ficha Técnica
Gravado no Estúdio Mustachi  em Janeiro de 2013
Produzido por Peu Ribeiro (Sorocaba/SP)
Arte Visual por Gustavo Dias (Guaxupé/MG)
Todas as músicas por Catexia
Track List:
1) Inferno (9:42)
2) A Ressurreição (9:46)
3) Marta (6:00)

Release A Voz do Brucutu (2013) Em janeiro 2013, a Catexia saiu de Franca e viajou até Sorocaba/SP para registrar suas primeiras produções no estúdio Mustachi (do produtor Peu Ribeiro). Durante uma semana, o grupo ficou incessantemente no estúdio gravando as 3 músicas que compõe o Album/EP intitulado A Voz do Brucutu. De janeiro a maio os trabalhos se focaram  na mixagem, masterização e a preparação do site e da arte visual para o lançamento do álbum. O EP  teve um feedback maior que esperado para um lançamento 100% independente e foi indicado por várias mídias da crítica especializada nacionais:  a revista eletrônica TenhoMaisDiscosqueAmigos,  o site Zona Punk, o AltNewsPaper, o Na Mira do Groove , o blog especializado sobre música instrumental Boca Fechada; e também internacional; como o blog Echoes and Dust e a revista distribuída na Inglaterra e nos EUA, Vents Magazine, entre outras matérias e indicações.

Algumas críticas ao EP:

“Acontece que tudo uma hora explode. Essa frase poderia muito bem ser dita por um TNT falante com a mais estranha naturalidade. Mas serve para entender um pouco o que a banda Catexia interpreta por música instrumental. (…)Apesar de A Voz do Brucutu ter apenas três faixas, cada uma delas tem mais de seis minutos de duração, apresentando uma dinâmica que remonta a bandas mais experientes do que a Catexia realmente é. A sincronia que impressiona em “Inferno”, “A Ressurreição” e “Marta” nem parece vir de um grupo formado no início do ano passado no Teatro Municipal da cidade. (…) De uma banda com duas guitarras, baixo e bateria não daria para associar outro gênero que não o rock. No entanto, a Catexia se singulariza em relação às demais bandas da cena instrumental por optar em condensar explosões e amenidades.Há belas melodias que se entrelaçam a riffs poderosos, fazendo com que cada faixa tenha sua construção única de diversos sentidos: ira, calma, perplexidade.” Por Tiago Ferreira, via Na Mira do Groove

“Falar de música instrumental no Brasil hoje é um assunto controverso: a efervescência de uma espécie de “cena” geral se confunde com as dificuldades gigantes que os músicos mais voltados pra essa área encontram para divulgar os seus trabalhos e ganhar espaço. De qualquer forma, faz parte do nosso trampo (o “penoso” trabalho de ouvir discos lindos sem parar) encontrar e distribuir esse pessoal que faz seu som e nem sempre pode contar com o apoio da onda atual. Hoje eu tive o prazer de conhecer o A Voz do Brucutu, o EP de três faixas da banda francana (fontes me dizem ser esse o gentílico dos residentes de Franca, São Paulo) Catexia. O som dos rapazes é instrumental – com o adventos de alguns poucos gritos bem dados em – e eu admito, mais pessoal e cheio de identidade do que eu esperava encontrar. Fica difícil postulá-los como post-rock ou qualquer definição de gênero semelhante; o fato de se tratar de um EP instrumental não parece restringir os limites dos caras nem um pouco e as canções trazem um equilíbrio entre pauleira pesada, técnica e melodias trabalhadas que é raramente alcançado nesse meio. Depois de alguns pares de trocas de e-mail, fiz uma pequena mas divertida entrevista com eles, e acreditem: o conteúdo não-musical parece tão interessante quanto o trio de canções que compõem A Voz do Brucutu.(…) ” Por João Carvalho, via AltNewsPaper

“Talvez o principal defeito da grande maioria das bandas instrumentais seja o fato de que muitas não conseguem passar para o estúdio o poderio sônico e atmosférico de suas apresentações ao vivo. Desse mal, com certeza o quarteto Catexia, de Franca-SP, não sofre. A banda está debutando em estúdio com o lançamento do EP “A Voz do Brucutu”. O play foi gravado em janeiro no estúdio Mustachi na cidade rock de Sorocaba, sob a batuta do produtor Peu Ribeiro. O que ouvimos nas três faixas que compõem o EP é algo capaz de causar hecatombes em mentes desavisadas. No esquema morde/assopra o Catexia construiu uma sonoridade que transita entre a pungência de paredes de guitarras e bateria sovada à momentos de calmaria e alucinação. Tive o prazer de ver os caras ao vivo e me perguntava se aquela variedade de sentimentos e sensações passadas no show seriam transpostas pro disco. E foi. Ponto pros caras. Pra quem quiser conferir, “A Voz do Brucutu” está disponível pra download free no site oficial da banda. Baixe, ouça e passe adiante!” Por Alisson Fernandes , via Gralha Rocka

“A banda tem origem parecida com muitas outras da nova cena instrumental (entre elas, A Atmosfera Lunar, também de Franca e instrumental e onde tocam alguns integrantes do Catexia): a universidade, onde várias cabeças inquietas se encontram e fazem a convivência extrapolar o academicismo e futulidade comum no meio, transformando-a em arte, e das boas! A música do Catexia tem o post rock como mola propulsora e o faz com maestria, sinalizando ao gênero uma direção mais éterea. O EP A Voz do Brucutu, acaba de ser lançado e disponibilizado pra download no próprio saite dos caras. A produção ficou por conta de Peu Ribeiro, figura importante da cena independente de Sorocaba/SP, cidade de origem de alguns músicos da banda.(…)” Por Eduardo Rodrigues, via Boca Fechada (site especializado na história da música instrumental)